Gameficação pode ajudar a prevenir incêndios

Wanderson Leite. Foto - Divulgação

Por Wanderson Leite*

Você sabe como prevenir um incêndio? De modo geral, ainda há muitos mitos em relação ao que fazer durante uma situação de emergência, como o fato de que nem todo fogo pode ser apagado com água. Para se ter uma ideia, somente no Estado de São Paulo, foram registrados mais de 6 mil incêndios em edificações em 2019. Com dados tão alarmantes, o que podemos fazer para que mais pessoas estejam preparadas para agir corretamente diante de focos de incêndio?

Hoje, o celular é uma das principais maneiras pelas quais as pessoas consomem informação. Estar disponível em redes sociais e aplicativos significa fazer parte da rotina das pessoas. E informações tão importantes quanto medidas de segurança contra incêndios devem estar disponíveis a qualquer momento, como um manual, literalmente na palma da mão, ao alcance de um toque.

Empresas de saúde e segurança do trabalho tem apostado em aplicativos com gameficação para substituir os tradicionais treinamentos. Esse método, que foi inspirado na competitividade do mundo dos games, convida o funcionário a interagir e ser parte atuante no seu processo de aprendizado.

Ao invés de apenas ouvir um especialista na área, ele responde a quizzes, ouve podcasts, participa de chats para tirar as dúvidas - tudo onde e quando quiser, pelo próprio smartphone. Além disso, tanto a empresa quanto o profissional conseguem acompanhar o quanto daquele conteúdo realmente foi absorvido, por meio de rankings que classificam a participação e o resultado dos questionários. É hora de dizer adeus aos treinamentos longos e cansativos em que mal se lembrava do nome do palestrante.

No caso da prevenção contra incêndios, aplicativos com gameficação são excelentes para simular situações e fazer o usuário pensar em como agiria diante do perigo. Assim como nos treinamentos presenciais, a ferramenta deve prezar pela informação correta e de fácil assimilação.

Trabalhando em parceria com empresas de segurança, é possível desenvolver experiências bem próximas à realidade, ainda mais se utilizarmos de tecnologia de Realidade Virtual. O perigo eminente, mesmo que simulado, coloca o usuário em contato com tudo que ele sabe sobre o assunto, desperta possíveis dúvidas e incentiva a ação diante do conflito. Eventualmente, em uma situação real, ela saberá reagir da maneira mais adequada porque de fato aprendeu, não apenas decorou.

Nos edifícios e condomínios, apesar da obrigatoriedade de realizar ações de abandono em casos de incêndios, ainda há bastante desinformação e dúvidas sobre como agir nessas situações. Por exemplo: se um apartamento começa a pegar fogo, o que se deve fazer? E se há vazamento de gás? Mais uma vez, a gameficação oferece seus benefícios, com conteúdo complementar aos treinamentos práticos. Com um aplicativo, é possível criar um grupo do prédio e selecionar exercícios e tópicos importantes para a segurança dos condôminos. O mesmo vale para escolas, faculdades e empresas.

A tecnologia só tem a agregar quando se fala em prevenção de incêndios e procedimentos de segurança, de modo geral. É preciso continuar desenvolvendo soluções para facilitar o acesso e a compreensão da informação, pois de nada adianta um conteúdo que não foi de fato absorvido. Abordando um tema tão importante de um jeito simplificado, interativo e divertido, é possível salvar vidas.

*Wanderson Leite é formado em administração de empresas pelo Mackenzie e fundador das empresas ProAtiva, app de treinamentos corporativos digitais, ASAS VR, startup que leva realidade virtual para as empresas e escolas, e Prospecta Obras, plataforma de relacionamento do segmento de construção civil.

Enviar um comentário

0 Comentários