Na hotelaria estão as profissões mais procuradas em 2020

Equipe do Hotel Go Inn Estação da Moda Goiânia. Foto - Divulgação

Levantamento da 12ª edição do Guia Salarial da Robert Half aponta carreiras no segmento como as mais promissoras para este ano. Comportamento é comprovado por dados do Ministério do Trabalho que mostram mais de 6 milhões de pessoas empregadas no ramo no Brasil

Segundo levantamento da 12ª edição do Guia Salarial da Robert Half, carreiras no ramo da hotelaria estão entre as mais promissoras para 2020, como as ligadas às áreas de vendas e finanças, sendo que o profissional deve ter formação na área ou curso equivalente.

O segmento hoteleiro cresceu 4,4% em 2019, em relação ao mesmo período em 2018 e emprega mais de 6 milhões de pessoas no Brasil, conforme dados do Ministério do Turismo. Além disso, o turismo está entre os principais segmentos da economia que apontam alta mês a mês.

A executiva de contas do Hotel Go Inn Estação da Moda Goiânia, Débora Moraes, é uma das profissionais que ocupa o cargo que é considerado um dos mais promissores para 2020. Sua ocupação está em terceiro em um ranking de seis, ficando atrás de Analista de Inteligência de Mercado e Head of Growth (líder de marketing estratégico e conteúdo).

Tem como habilidades mais demandadas a familiarização com tendências tecnológicas, foco em resultados, perfil analítico, profissional multitarefa e perfil Hunter (“caçador” de novos clientes).

“Desempenho mais de uma atividade no hotel. Faço gerenciamento das contas, estudos e cotações no mercado, administro o departamento comercial e também o marketing, direcionando estratégias para gerar novos negócios”, explica Débora que é formada em Gestão Hoteleira.

Para o gerente do Hotel, Leonardo Pereira, “a hotelaria está em franca expansão e é uma das áreas mais fortes dentro dos segmentos de gestão de serviços no Brasil e no mundo. Cada vez mais aliada às inovações tecnológicas que incrementam o acolhimento, as profissões diretamente ligadas à hospitalidade ganham mais destaque no mercado de trabalho, realidade que se aplica em Goiás”. Segundo ele, o setor passou por muitas mudanças, impulsionado principalmente pela mudança de comportamento das pessoas que buscam experiências positivas, não só estada. “Isso muda a perspectiva do mercado”, detalha o gerente.

A função de gerenciador de receita, o Revenue Management (RM), também está em alta. É a pessoa responsável por maximizar as receitas do hotel. “Todas as redes de hotéis contam com esse profissional que está se tornando indispensável para a administração, por empregar técnicas estratégicas a partir de tomada de decisões em cima de dados e sem achismos”, conta Leonardo

Para exercer a função não é preciso ter uma formação direcionada, as principais áreas envolvidas no RM são as de hotelaria, turismo, administração, marketing, economia e matemática.

Além das profissões estratégicas, de gerenciamento e finanças, a função de camareira é uma das mais importantes na estrutura de um hotel por causa do cuidado direto com o hóspede. “Elas garantem o bem-estar dos hóspedes ao se dedicaram à arrumação, limpeza e higienização, do ambiente, além de controlar os produtos usados nos apartamentos, Por isso o treinamento e a capacitação desse profissional devem ter alto padrão de excelência”, detalha o gerente de governança, Dhyonatha Rodrigues.

Segundo Rodrigues, essa é uma profissão considerada “de carreira”, pois a maioria começa nos serviços gerais e com a experiência adquirida evolui dentro do hotel. Dhyonatha Rodrigues explica também que experiência como diarista e no trabalho doméstico também contam no currículo.

Recentemente a camareira Adriene Pereira dos Santos, funcionária do Hotel Go Inn, ficou em 3º lugar no quesito qualidade, agilidade, apresentação e criatividade, no Equipotel Regional 2019, desbancando profissionais de hotéis de luxo no evento que aconteceu em Goiânia.

Adriene conta que a profissão é gratificante e que os resultados são recompensadores. “É muito bom ver a reação das pessoas ao entrar no quarto e sentir que está limpo e cheiroso. O objetivo é fazer com que eles se sintam em casa”, declara a camareira que trabalha desde 2012 na área e procura estar em constante aperfeiçoamento.

Entre camareira, garçom, serviços gerais, recepcionista, profissionais de vendas, eventos, financeiro, recursos humanos e administrativo, o hotel de classe econômica localizado na Região Central de Goiânia, que opera desde março de 2013, conta com um corpo de 30 colaboradores diretos e gera mais de 100 empregos indiretos em áreas técnicas e jurídicas.

De acordo com gerente Leonardo, o profissional de hotelaria deve ter habilidades específicas. “Um bom profissional deve gostar de lidar com pessoas, ter boa comunicação, dinamismo e proatividade”, conta. As formações acadêmicas ficam relacionadas às áreas que cada um vai atuar como contabilidade, marketing e governança.

Publicar um comentário

0 Comentários