Ano letivo traz educação empreendedora para dentro da sala de aula


Atuação do Sebrae ganha força no país com as novas práticas propostas pela Base Nacional Comum Curricular

O início do ano letivo de 2020 traz novidades para dentro das salas de aulas de todo o país com a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Com a homologação da normativa, no final de 2017, os municípios e os estados tiveram os dois últimos anos para se organizarem e começam agora a implementar as competências gerais da BNCC no ensino fundamental. No caso do ensino médio, sob responsabilidade dos estados, além do início da formação dos professores, também há previsão de que os currículos adaptados com conteúdos, como o empreendedorismo, sejam entregues em junho deste ano.

Entre as competências gerais previstas na BNCC estão conteúdos que o Sebrae trabalha há mais de 47 anos por meio do Programa de Educação Empreendedora, como: cooperação, projeto de vida, pensamento crítico e comunicação. A ideia é promover o protagonismo juvenil frente ao mundo do trabalho e o exercício da cidadania.

De acordo com o gerente de Cultura Empreendedora, Gustavo Cezário, a Educação Empreendedora desenvolvida pelo Sebrae vai muito além da abertura de um negócio e propõe o desenvolvimento de uma atitude empreendedora, em que a pessoa se sinta preparada para lidar com problemas e contribuir com a sociedade a partir de um projeto de vida.

Diante do desafio proposto por esse novo modelo de Educação, o Sebrae se prepara para contribuir na implementação da BNCC nas escolas por meio da formação dos professores, considerados agentes estratégicos dessas mudanças. “Nesse cenário de alto nível de evasão escolar e falta de interesse dos alunos, o Sebrae se coloca ao lado do professor que precisa cada vez mais de ferramentas capazes de chamar a atenção dos jovens dentro da sala de aula”, explicou Cezário.

Para isso, os investimentos em Educação Empreendedora ganharam um impulso este ano com o aporte de mais de R$ 50 milhões para a realização de diversas ações importantes em conjunto com as secretarias de educação, Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), entre outros parceiros do movimento pela Educação no país.

Para apoiar a inclusão de conteúdos de empreendedorismo nos currículos escolares, diversos materiais sobre Educação Empreendedora já produzidos pelo Sebrae, como a Coleção Jovem Empreendedor Primeiros Passos, por exemplo, estão sendo reformulados para o ambiente digital, com módulos adaptados para atender à realidade das escolas. Também está previsto o lançamento da nova versão da plataforma para formação dos professores com cursos nos formatos online e presencial, em parcerias com as unidades regionais do Sebrae.

Até o momento, o programa do Sebrae já alcançou 4,4 milhões de potenciais empreendedores e 165 mil professores por todo o país com aproximadamente nove mil parcerias. “2020 é o ano de formação dos professores e é uma oportunidade para o Sebrae ampliar a escala do Programa de Educação Empreendedora para atendimento principalmente da rede pública,”, ressaltou o gerente.

Sopbre o BNCC

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi idealizada na Constituição de 1988, foi regulamentada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e passou a integrar o Plano Nacional de Educação em 2014. Em discussão nas últimas décadas, a normativa foi pensada para orientar a construção do currículo básico da educação brasileira. Ela estabelece que além de competências e conhecimentos acadêmicos também sejam desenvolvidas habilidades socioemocionais ao longo da vida escolar.

Publicar um comentário

0 Comentários