Estado recomenda suspensão de celebrações com público em espaços religiosos da Grande SP

Foto - Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Medida entra em vigor no dia 23 e valerá por 2 meses; igrejas e templos poderão continuar abertos para orações individuais ou eventos sem plateia

O Governador João Doria recomendou nesta quinta-feira, 19 de março, a suspensão de celebrações com público em todos os espaços religiosos da Região Metropolitana de São Paulo por 60 dias. A expectativa é que templos e igrejas cumpram a medida a partir da próxima segunda, dia 23, como forma de evitar a propagação do coronavírus.

“A prioridade absoluta do Governo de São Paulo é a proteção de vidas”, disse o Governador. “A recomendação é para que templos e igrejas evitem missas, cultos, aglomerações ou celebrações”, afirmou Doria. Por enquanto, a recomendação não se estende a espaços religiosos do interior e do litoral.

A recomendação do Governo do Estado não impede que igrejas e templos permaneçam abertos durante a crise provocada pela pandemia da COVID-19. Os espaços poderão continuar a receber fiéis para orações e orientação religiosa individual, mas segundo regras específicas para mitigar a circulação do vírus.

“A medida não significa o fechamento de templos ou espaços de orações”, reforçou o Governador. Doria disse que uma das medidas recomendadas a líderes religiosos é que os fiéis mantenham distância mínima de três metros entre si durante as orações individuais.

Até domingo, as lideranças de cada espaço religioso deverão orientar as pessoas sobre a impossibilidade de manutenção dos eventos em grupo pelos próximos dois meses. Segundo Doria, a recomendação do Estado não sofreu objeção das diferentes denominações religiosas afetadas pela medida.

“Todos têm sido extremamente solidários com as decisões da Prefeitura de São Paulo e do Governo do Estado. É por isso que estamos no âmbito da recomendação. É um momento de convergência e bom entendimento solidário”, frisou o Governador.

Diversas denominações religiosas já vêm adotando espontaneamente a suspensão das celebrações presenciais por todo o mundo devido à pandemia do coronavírus. Os eventos continuam sendo realizados normalmente, mas sem a presença de público, que acompanha as celebrações via TV ou internet.

Enviar um comentário

0 Comentários