Medidas do governo para minimizar impacto do coronavírus na aviação são positivas


Presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz destaca esforço e protagonismo do Ministério da Infraestrutura e parceria das demais autoridades envolvidas

A medidas anunciadas hoje, 18 de março, pelo governo para minimizar o impacto da pandemia do novo coronavírus na aviação comercial brasileira são positivas, na avaliação do presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Eduardo Sanovicz.

Por meio de Medida Provisória (MP) e decreto, o governo vai postergar o recolhimento das tarifas de navegação aérea, adiar o pagamento das outorgas aeroportuárias sem cobrança de multas e prorrogar as obrigações de reembolso das empresas aéreas.

De acordo com Eduardo Sanovicz, o esforço, o entendimento, o alto nível de mobilização e parceria dos ministérios da Infraestrutura, da Economia, do Turismo, da Secretaria de Aviação Civil (SAC), da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) foram fundamentais para este primeiro passo.

“As medidas são positivas e estão na direção correta, neste momento em que enfrentamos a maior crise da história da aviação comercial. Entendemos que foi anunciado o que é possível fazer neste cenário atual, onde as empresas aéreas precisam de alívio de caixa. Entramos numa nova fase, de avaliação permanente a partir da efetivação dessas iniciativas para podermos mensurar resultados e construir os próximos passos”, afirma Sanovicz.

“Começamos muito bem. Estamos aguardando, agora, o detalhamento da linha de crédito anunciada, que para nós também é absolutamente vital e relevante no sentido de geração de caixa e fôlego que estamos construindo”, finaliza.

Publicar um comentário

0 Comentários