Campanha liderada pelo ator Caco Ciocler estimula empresas a doarem durante a pandemia


Lista Fortes Brasil reúne várias personalidades, e incentiva empresas a doarem pelo menos 1% do seu lucro líquido

Logo que a pandemia por conta do Covid-19 se instaurou no Brasil, o ator Caco Ciocler, assim como o resto do país, teve seus planos abruptamente interrompidos e aderiu ao isolamento voluntário. Inundado com notícias sobre o vírus e as medidas que começavam a ser tomadas, Caco se chocou ao receber vídeos de empresários que se posicionavam contra o isolamento social, seguindo a linha “a economia não pode parar”.

“Fiquei transtornado. Não existia na convocação desses empresários alusão a qualquer promessa de cuidado com seus funcionários. Era uma preocupação estritamente econômica. É óbvio que a economia é de suma importância para o país, mas a segurança de sua população também é. Naquela noite, fui para o computador fazer contas, e entendi que havia uma outra forma, no mínimo mais empática, do empresariado lidar com o problema e com sua força de trabalho”, conta Caco.

Nasceu então a Lista Fortes, com a ideia de engrandecer, dar visibilidade e, assim, estimular iniciativas criativas de suporte médico, social ou financeiro, em todos as frentes e tamanhos.

Por meio de suas redes sociais, o ator iniciou a campanha com um vídeo que teve mais de 150 mil visualizações num único dia. Marcas começaram a se movimentar e Caco cumpriu o prometido: passou a divulgar, e segue divulgando, toda e qualquer ação de impacto de que tem conhecimento. As grandes, como da Magazine Luiza, que doou R$ 10 milhões; a Hering, que vai confeccionar uniformes para agentes de saúde; e a Ortobom, que disponibilizará três mil colchões para leitos hospitalares, e também as menores, tão criativas e relevantes, de micro e pequenos empresários.

“Não tenho como saber se elas aconteceram por causa da campanha, nem de conferir se foram feitas de fato. O que interessa é que começou um movimento aí. Estou cumprindo com a minha palavra: divulgar as empresas que anunciam publicamente ações criativas e de impacto. Achei que se todos entendessem que fazer parte da lista fosse uma honra, com reconhecimento e aplauso da sociedade, a gente ganhava esse jogo. E que esse movimento poderia também retribuir de alguma forma as empresas quando a pandemia passasse, a lista servindo como uma espécie de guia para o consumidor poder saber quem foi quem durante a crise”, explica o idealizador.


A campanha conta com o apoio da cantora Fafá de Belém. Foto - Divulgação

O desafio da Lista Fortes, agora Lista Fortes Brasil, é ainda maior. Serão incluídas na nova Lista, apenas as empresas que doarem pelo menos 1% do seu lucro líquido. Para a causa de sua escolha. Em contrapartida, como reconhecimento e agradecimento, dando sua contribuição, renomados atores, esportistas, intelectuais, formadores de opinião e influenciadores se comprometem a divulgar cada nova atualização da Lista Fortes Brasil nas suas redes sociais, chamando assim a atenção dos meios de comunicação, e apresentando à população seus fortes empresários brasileiros.

A lista de propagadores da boa notícia da Lista Fortes Brasil já é imensa. Começou com Caco, agora já conta com Fafá de Belém, Rodrigo Santoro, Aline Morais, Julia Lemmertz, Leticia Sabatella, Guel Arraes, Jorge Furtado, Lázaro Ramos, Taís Araujo, Bete Coelho, Alice Braga, Bianca Comparato, Marcia Felippe, Nathalia Timberg, Johnny Massaro, Paulo Betti, Daniel de Oliveira, Maria Ribeiro, Rômulo Estrela, Caio Blat, Alexandre Nero, Sophie Charlote, Armando Babaiof, Junior Lima, Leandro Karnal, Maya Gabeira (surfista), Adriana Samuel (medalhista olímpica vôlei), Estevão Ciavatta (diretor e escritor), Sophia Abrahão, Flávio Canto (atleta), Morais Moreira, Gilberto Gil, Eriberto Leão, Luisa Arraes, Fernanda Rodrigues, Ingrid Guimarães, Marilia Gabriela, Julio Andrade, Astrid Fontenelle, Monica Salgado (influenciadora digital) e Estevão Chiavatta (diretor e escritor).

Cada vez que uma nova empresa entrar na Lista, o time de atores, atletas, intelectuais, e personalidades fará, cada um a seu modo, um grande barulho simultâneo nas redes. Os únicos requisitos para entrar na lista serão: uma declaração pública de doação de pelo menos 1% do lucro líquido, não constar na lista de empresas que usam trabalho escravo, e nem na lista de áreas embargadas pelo Ibama, ambas públicas.

O idealizador da campanha Caco Ciocler. Foto - Divulgação

Participar é fácil, a empresa escolhe suas causas e instituições, doa pelos menos 1% do seu lucro líquido, e passa a fazer parte da Lista Fortes Brasil. "Se não souber para onde doar, a gente ajuda com algumas opções que já estão fazendo a diferença. Pulverizar pode ser também um bom negócio. Lista Fortes Brasil. Entre para a história. Mude a história!”, finaliza Caco.

A campanha começa oficialmente hoje, dia 09 de abril, às 18h30, quando o site entra no ar, e você poderá acessá-lo a partir desse horário clicando aqui.

Publicar um comentário

0 Comentários