Crise do coronavírus não prejudica movimentação de cargas


Setor obteve aumento de 8,8% em março

A AT&M Tecnologia, empresa responsável pela averbação de 90% do mercado de transporte de cargas, entre 26 mil transportadoras, seguradoras e embarcadores, registrou em março/2020, R$ 556 bilhões em movimentação de cargas no país, um aumento de 8,8% em relação a março do ano passado, quando foi contabilizado o valor de R$ 511 bilhões.

O diretor de Operações, Thiago Marques, destaca que esse cenário reflete o aquecimento do setor de abastecimento. “Mesmo com a pandemia do Coronavírus (Covid-19), os esforços da indústria, caminhoneiros e transportadoras colaboraram com esses dados positivos impulsionados pela demanda de produtos de beleza, higiene e medicamentos com forte demanda dos setores do varejo (supermercados) e e-commerce.

Na comparação com fevereiro de 2020, que contabilizou R$ 531 bilhões em movimentação de cargas, o último mês de março também obteve desempenho positivo com aumento de 4,7% ao registrar R$ 556 bilhões.

Thiago Marques relata que a crise sanitária, infelizmente deve trazer efeitos negativos para a economia brasileira no geral, mas o setor de transporte de cargas continua em crescimento devido a demandas especificas, principalmente do e-commerce, insumos gerais, abastecimento do varejo (supermercados) e até mesmo, transporte de equipamentos e medicamentos hospitalares entre os estados brasileiros, cenário que fez aumentar o “PIB do Transporte”, no último mês de março. Além disso, as famílias brasileiras compram mais produtos e alimentos para consumo em suas residências.

O primeiro trimestre de 2020 também obteve resultados positivos, apesar da recuperação lenta da economia nos últimos meses, que totalizou mais de R$1,6 trilhão em movimentação de cargas, um aumento de 2% em relação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 1,4 trilhão em movimentação de cargas em todo o país. Veja abaixo o desempenho dos últimos meses.

Como funciona o processo de averbação para o transporte de cargas?

A transportadora emite o documento de Conhecimento de Transporte (CT-e) para cada carga solicitada (valores, destino e descrição da mercadoria). Essas informações são enviadas eletronicamente para o sistema da Secretaria da Fazenda (SEFAZ) de cada estado, que responde com um protocolo para a liberação fiscal da mercadoria.

Ao mesmo tempo, para que a carga atenda o seguro obrigatório de responsabilidade civil e também contra roubo, o emitente desse documento disponibiliza informações do CT-e para o sistema de averbação eletrônica AT&M que checa essas informações do transporte e da apólice do seguro e transmite à seguradora responsável. A AT&M é o elo da tecnologia entre seguradoras, transportadoras, embarcadores e órgãos fiscais.

Publicar um comentário

0 Comentários