Saiba quais alimentos aumentam a imunidade e fortalecem o organismo contra doenças

Foto - Divulgação

Em tempos de Covid-19 e época de altos índices de doenças respiratórias, alimentos ricos em nutrientes e vitaminas são grandes aliados da saúde 

Estamos em meio a uma pandemia e no início do outono, estação com altos índices de doenças respiratórias, devido as variações de temperatura e de umidade relativa do ar. Por isso é importante fortalecer o sistema imunológico, mantendo uma boa hidratação e ingerindo alimentos ricos em vitamina C, A, E, selênio, zinco e outros, como explica a supervisora do serviço de nutrição e dietética do São Cristóvão Saúde, Cintya Bassi.

Vale ressaltar que não há nenhuma vitamina ou alimento que evite o contágio do Covid-19 ou cure a doença. As recomendações de higiene e o isolamento social ainda são as melhores formas de prevenção. Entretanto, é importante manter a imunidade alta, para ajudar o organismo a combater os agressores e proteger o corpo de infecções. Os alimentos fornecem nutrientes que agem de formas diferentes no sistema imunológico.

“Alguns, como a vitamina C, age diretamente nas células de defesa e no combate a microrganismos, já a vitamina A, atua modulando a resposta fagocitária, que é a capacidade das células destruírem substâncias nocivas já dentro do organismo. Outros, como a vitamina E, o selênio e o zinco, fornecem antioxidantes que também são importantes. Dessa forma alimentos que devem ser ingeridos para aumentar a imunidade são as frutas cítricas, vegetais verde-escuros, frutas oleaginosas, carnes magras, leguminosas como o feijão, o grão de bico e a lentilha, além do gengibre, iogurtes, leite fermentado e cereais integrais.”, define a nutricionista.

Um estudo realizado por cientistas da Universidade de Turim, na Itália, apontou que a vitamina D pode ajudar a reduzir os riscos do coronavírus. Atualmente, sabemos que a vitamina D é importante para o metabolismo ósseo e que parte dela é obtida pela alimentação, porém, a maior parte é produzida pela exposição cutânea ao sol.

“A recomendação ainda é a mesma de antes da pandemia, e o consumo dos alimentos fontes da vitamina, devem estar dentro do recomendado por faixa etária e características individuais, evitando-se tanto a hipovitaminose como a hipervitaminose. As melhores fontes são, óleo de fígado de bacalhau, sardinha, atum, salmão, fígado de boi, iogurte, gema de ovo, leite materno e leite de vaca.”, afirma Cintya Bassi.

Vale lembrar que devemos redobrar a higiene dos alimentos e embalagens durante a pandemia. “Frutas, verduras e legumes devem ser lavados em água corrente, após, colocados em solução de água com vinagre por cinco a dez minutos (uma ou duas colheres para cada litro de água) e, por fim, deixados em solução de hipoclorito por mais cinco a dez minutos (uma ou duas colheres para cada litro de água). Produtos acondicionados em lata, plástico ou vidro, também devem ser higienizados. Para isso, utilize água e sabão antes de guardar. Alimentos que já foram embalados após a higienização, não precisam passar pelo processo novamente, apenas as embalagens.”, reforça a nutricionista do São Cristóvão Saúde.

Durante a pandemia, para não ter ganho excessivo de peso, deve-se optar por alimentos que trazem maior quantidade de nutrientes e benefícios para a saúde. “Prefira carboidratos complexos, como pães, massa e arroz integral, farinha de aveia, frutas e hortaliças, gorduras de boa qualidade e em quantidade moderada como óleos e azeite; fontes proteicas de boa qualidade como leite e derivados desnatados, carnes magras e grãos. Também é importante optar pelos alimentos frescos e não processados, isso garantirá o melhor aproveitamento dos nutrientes. Evite alimentos ricos em gordura saturada e açúcares, embutidos, frituras, pele de aves, refrigerantes, doces e industrializados.”, finaliza.

Imagem - São Cristovão Saúde/Divulgação

Publicar um comentário

0 Comentários