#NÃOSECALE: famosos aderam a campanha para alertar sobre abuso e exploração sexual infantil


Instituto Liberta faz ação de enfrentamento da exploração sexual infantil diante da crise gerada pelo coronavírus e doa mais de 5 mil máscaras para à volta as aulas

Em tempos de pandemia, e pensando na importância de incentivar a sociedade a não se calar diante da violência sexual contra crianças e adolescentes, a Cucumber Propaganda cria ação inédita para o Instituto Liberta, em parceria com a marca Plié.

A exploração sexual infantil é um problema social gravíssimo, diretamente ligado à pobreza e à miséria da população, e que, com a crise econômica iminente, com mais crianças em situação de vulnerabilidade, tende a aumentar.


Neste momento de confinamento, os problemas relacionados à violência sexual infantil se agravaram de forma geral. Em se tratando de pornografia digital, por exemplo, o termo mais pesquisado nos sites de pornografia é 'novinha' (Fonte: The Economist). Além disso, cerca de 92% dos casos de violência sexual acontecem dentro das residências, e que crianças e adolescentes confinados não estão encontrando espaço para denunciar.

Pensando nisso, a Cucumber Propaganda criou uma parceria entre o Instituto Liberta e a Plié Lingerie para alertar sobre a importância de não nos calarmos diante dos crimes de abuso e exploração sexual infantil.


As mascaras de proteção contra o Covid-19 foram confeccionadas probono pela marca Plié, e trazem gravada a hashtag #NÃOSECALE para lembrar a importância de não nos silenciarmos diante desta violência. As peças serão entregues para influenciadores, parceiros e celebridades, e transformadas em uma campanha digital.

A iniciativa se prepara para entregar nas escolas públicas, na volta às aulas, mais 5 mil mascaras, como parte do Programa #tánahora, que incentiva debates sobre o tema por meio de rodas de conversas com professores e alunos.

“Precisamos entender que a denúncia é um primeiro passo importantíssimo para rompermos a aceitação desse crime”, explica Sophie Wajngarten, sócia e diretora da Cucumber Propaganda e cofundadora do Instituto Liberta. “E outro passo não menos importante é incentivarmos a sociedade a falar cada vez mais sobre esse assunto, afinal a melhor forma de combater um problema é com conhecimento”, conclui.


Vale ressaltar que, o Brasil é o segundo país no mundo com maior índice de exploração sexual infantil. #NÃOSECALE é uma campanha para mostrar a importância de nos protegermos usando a máscara, e a urgência de proteger nossas crianças e adolescentes vítimas deste crime. Denuncie pelos canais oficiais, de forma anônima: Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e 180 (Central de Atendimento à Mulher).

Publicar um comentário

0 Comentários