Últimas

6/recent/ticker-posts

Confira os principais macetes para você aproveitar bem o verão

Foto - Divulgação

É necessário proteger e cuidar da pele seja na praia, piscina, dentro do carro, navio ou avião

Com a proximidade do final do ano, muitas viagens são feitas a fim de curtir as férias nas mais variadas paisagens e passeios. Mas, inevitavelmente, a pele acaba sofrendo por conta de variações de temperatura e o resultado é o ressecamento em viagens de avião, por exemplo, ou então uma queimadura em viagens de carro.

“Neste caso, é importante não abrir mão da proteção e cuidados essenciais”, afirma a dermatologista Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology (AAD).

Consultamos especialistas para dar dicas e orientações de como proteger a pele, tanto na praia, piscina, viagens de carro ou avião. “A primeira delas (e a mais importante), que serve para todas as situações, é a proteção solar. Sem ela, não há pele que resista às altas e baixas temperaturas, ar seco e muito sol”, conta Isabel Piatti, Consultora Executiva em Estética e Inovação Cosmética e conselheira do Comitê Técnico de Inovação da Buona Vita.

“A principal fonte de moléculas reativas (radicais livres) é a radiação solar, tanto UVA quanto UVB. Elas levam ao envelhecimento precoce da pele, doenças de pele, hipercromias - manchas escuras - e até câncer de pele, além de possuírem efeito imunossupressor”, afirma o farmacêutico Maurizio Pupo, Pesquisador, Consultor em Cosmetologia e diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Ada Tina Italy.

Confira abaixo as principais dicas:

Viagens de avião

Muitas pessoas não sabem, mas é essencial hidratar muito a pele para as viagens de avião. Antes de decolar, o recomendável é aplicar uma boa camada de hidratante no rosto e nas mãos, além de creme para a região dos olhos, para evitar o ressecamento.

“Quanto a viagens longas (mais de 6 horas), borrife água termal no rosto, por várias vezes, isso ajuda a manter a pele hidratada contra o ar seco dentro da aeronave. Não se esqueça de retirar a maquiagem durante o voo, antes de dormir e procure descansar o máximo possível, para evitar a aparência do jet lag, tão comum em percursos longos. Quando estiver a uma hora do seu destino, higienize novamente a pele, hidrate e aí sim os BB creams e maquiagens são bem-vindos. E é importante lembrar de beber muita água. O ideal é tomar uma garrafinha por hora no avião”, recomenda Dra. Claudia.

“Se o voo for diurno, é essencial a aplicação de protetor solar 30 minutos antes do embarque e o fator mínimo de proteção (FPS) deve ser 30. É muito importante que o filtro tenha alta proteção UVA. Isso porque as janelas do avião conseguem bloquear os raios UVB da radiação ultravioleta, mas não bloqueiam os raios UVA (justamente os raios que provocam o envelhecimento precoce da pele e o câncer de pele). Se o voo for longo, o protetor deve ser reaplicado a cada 2 horas. Como, durante o voo, se está em uma altitude mais elevada, esses raios UVA são ainda mais prejudiciais que o normal (na praia ou na cidade). Em 2015 foi publicado um estudo no Jama Dermatology Journal que mostrou que 56 minutos de voo equivalem a 20 minutos numa cama de bronzeamento artificial, pelas altas doses de UVA que todos recebem a bordo dos aviões”, explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da SBD.

O uso de hidratantes que ajudem a manter a função de barreira da pele como Hyaxel e Pro Barrier Repair é uma recomendação importante, segundo a Dra. Claudia. “Os lábios também precisam de proteção, é importante utilizar protetor labial”, afirma a dermatologista.

Para não chegar ao seu destino com bolsas nos olhos, evite ingerir alimentos salgados e os gordurosos também. Mas, caso eles inchem, aplique um creme específico para a área com ingredientes contra a inflamação.

Viagens de carro

Quanto ao ar-condicionado, de modo geral, tanto no carro ou outro ambiente, em função da redução da umidade do ar, a pele e os cabelos ficam mais ressecados e expostos ao envelhecimento.

“É importante utilizar produtos antioxidantes, com ativos que agem profundamente na pele e neutralizam os radicais livres, como o OTZ 10 e Vitaminas C e E”, afirma a Dra. Claudia Marçal.

Mas não esqueça o fotoprotetor: “apesar das janelas serem capazes de barrar a radiação UVB, a radiação UVA, que está presente na natureza em níveis muito maiores e mais expressivos que a radiação UVB, consegue atravessar vidros e penetrar profundamente na pele, chegando até a derme, camada mais profunda da pele e onde se localizam as fibras de colágeno e elastina, gerando assim uma quantidade altíssima de radicais livres, que são os principais responsáveis pelo envelhecimento precoce do tecido cutâneo”, explica Isabel Piatti.

Não à toa diversos estudos já associaram o aparecimento de danos solares e lesões cancerosas do lado esquerdo do corpo com o hábito de dirigir sem a devida proteção contra o sol. Ou seja, o melhor é sempre fazer uso de um protetor solar antes de pegar o carro - e o produto pode contar também com antioxidantes, como Biosole AV FPS 50, da Ada Tina Italy, um protetor solar anti-idade com propriedades pró-colágeno e antioxidantes e que conta com Difendiox.

“Ela é uma molécula patenteada, estudada na Universidade de Pisa. Difendiox é um blend concentrado de 14 polifenóis da Oliva. Esses polifenóis modulam a imunidade, oferecendo uma proteção biológica para a pele contra o sol”, afirma o pesquisador Maurizio Pupo.

Banhos de piscina

Segundo a Dra. Claudia Marçal, antes de entrar na piscina, é necessário evitar o uso de esfoliantes e sabonetes abrasivos, o que pode tirar a proteção natural da pele. “Após o banho, é recomendável limpar a pele, para remover as impurezas, utilizar tônico ou demaquilante”, afirma a Dra. Paola Pomerantzeff, que ainda destaca a importância de usar hidratantes pós-sol, com efeitos calmantes e cicatrizantes.

“É essencial também ingerir muita água, antes e durante o banho de piscina, o que mantém a hidratação do corpo. Não se esqueça de proteger os cabelos também com produtos que neutralizam os efeitos do sol e do cloro da piscina”, diz a Dra. Paola.

Exposição solar na praia

A exposição solar é importante para a produção de vitamina D, mas não pode haver exageros. O ideal é se expor ao sol antes das 09h e após as 16h, mas sem abrir mão da proteção solar com filtros físicos, mesmo na sombra.

“Em peles mais claras, o indicado é utilizar filtro com FPS a partir de 50 e reaplicar o produto a cada duas horas, inclusive um específico para os lábios. Pessoas com pele clara devem ter cuidado extra, em relação à proteção, mas pessoas de fototipos mais altos também não podem deixar de usar o filtro solar”, afirma a Dra. Claudia.

“Use o filtro solar com bloqueador físico à base de Dióxido de Titânio, Óxido de Ferro e Zinco, especialmente sem óleo, para as peles oleosas”, diz. Para proteger contra o calor, uma sugestão é o ativo OTZ 10. Depois de tirar o protetor, use produtos com ação revitalizante, como a Loção Hidrotônica, da Buona Vita, que conta com água de coco verde integral.

Areia e banhos de mar

A água do mar e areia relaxam e revigoram o corpo, contudo, é preciso se atentar a algumas questões que trazem danos à pele. “É importante mencionar a possibilidade de contrair infecções, provocadas por fungos e bactérias presentes na areia. A pele pode sofrer com micoses, que se alimentam da queratina na epiderme”, afirma a Dra. Claudia.

A médica destaca que as virilhas e pés são as regiões mais afetadas, mas não são as únicas a serem atingidas. Por isso, é importante priorizar a higiene e não ficar muito tempo com os trajes de banho molhados. No caso da água do mar imprópria para o banho, existe o risco de contrair doenças de pele, por causa da presença de fezes, urina e lixo, por exemplo. Se houver alguma ferida ou corte na pele, o contato com a água do mar pode contribuir para o surgimento de micoses. “Nesse caso, o melhor é evitar”, finaliza a Dra. Claudia.

Publicar um comentário

0 Comentários