Últimas

6/recent/ticker-posts

Geração Z quer se relacionar mas não quer compromisso

Foto - Taryn Elliott/Pexels

O grupo demográfico mais jovem de Ashley Madison quer monogamia sem casamento

Quando você é jovem, se diz para curtir as festas, aproveitar os encontros de uma noite e explorar os ménage à trois antes de se casar, começar uma família e envelhecer com seu único amor verdadeiro. Isso descreve o casamento como um momento em que a diversão diminui e as realidades da vida se instalam. No entanto, embora a Geração Z ainda esteja determinada a encontrar “a pessoa certa”, esse grupo demográfico está procurando fazer as coisas de maneira um pouco diferente quando se trata de se estabelecer. Ashley Madison, o principal site de namoro para casados do mundo, descobriu recentemente que seus membros mais jovens ainda estão em busca dos seus felizes para sempre - mas com uma pequena mudança.

“Parece que a última geração de encontros está reescrevendo as regras que a sociedade estabeleceu para nós há muito tempo”, diz Isabella Mise, diretora de comunicações de Ashley Madison. “Cada vez mais, ouvimos o desejo, especialmente de nossos membros mais jovens, de projetar sua própria versão do que significa viver uma vida monogâmica".

A maioria dos membros da Geração Z de Ashley Madison (nascidos entre 1997 e 2015) são solteiros e 55% dizem que não querem realmente se casar. Mas isso não significa que eles não querem um parceiro para toda a vida com quem se comprometer. 41% desses membros desejam um relacionamento monogâmico e 59% esperam ter uma cláusula de exclusividade total com o parceiro quando o encontrarem. Por outro lado, os membros mais velhos de Ashley Madison estão quase exaustos da monogamia e recorrem ao site para uma diversão casual de curto prazo. Mas é a prática da monogamia que os está impedindo, ou a certidão de casamento que assinaram há muito tempo? Os mais jovens hoje podem culpar a certidão.

Monogamia e eu

45% dos membros da Geração Z dizem que a monogamia é a estrutura de relacionamento ideal e que funciona, enquanto apenas 33% dos membros mais velhos dizem o mesmo. Então, onde está a desconexão? Pode ser que o tempo e a experiência dentro de um casamento ou parceria monogâmica moldem uma opinião sobre esse tipo de relacionamento, mas agora, os membros mais jovens estão pensando praticamente na exclusividade amorosa, enquanto as gerações mais velhas estão chateadas por terem perdido o relacionamento ideal de conto de fadas perfeito que gostariam de ter tido.

Benefícios da monogamia de acordo com a Geração Z

  • Estabilidade Financeira - 64% (comparado a 51% de membros mais velhos)
  • Criação de família estável - 59% (comparado a 63% de membros mais velhos)
  • Companhia mais séria - 50% (igual a membros mais velhos)
  • Envelhecer ao lado de alguém - 45% (comparado a 48% de membros mais velhos)
  • Expectativas sociais alinhadas - 36% (comparado a 46% de membros mais velhos)

Desvantagens da monogamia de acordo com as gerações anteriores

  • Tédio com parceiro - 63% (comparado a 41% dos membros da Geração Z)
  • Liberdade limitada - 61% (comparado a 45% dos membros da Geração Z)
  • Atração reduzida no parceiro com o passar do tempo - 57% (comparado a 41% dos membros da Geração Z)
  • Dependência física em um parceiro - 49% (comparado a 36% dos membros da Geração Z)
  • Risco de divórcio - 43% (comparado a 45% dos membros da Geração Z)

É realmente melhor?

Após vários anos de casamento monogâmico, os membros mais velhos de Ashley Madison passaram a apreciar a ideia de relacionamentos abertos ou poliamorosos. Setenta por cento prefeririam uma estrutura de relacionamento mais fluida em vez da monogamia, citando novas experiências empolgantes, menos pressão sobre o cônjuge e mais liberdade para se expressar como os três principais benefícios. Mas os mais jovens não estão desanimados.

Quando se trata de não monogamia consensual, os riscos superam os benefícios para a Geração Z. Eles estão mais preocupados com o ciúme (77%), dor emocional (50%) e problemas de autoestima (41%) que podem vir a ter vários parceiros. Apesar de indivíduos em idade universitária serem historicamente entendidos como namorados casuais sem nenhum interesse em se casar, na verdade parece que está tudo resolvido e é mais atraente para a geração Z hoje. Quem iria imaginar?

Então, como o casamento se encaixa como jean e camiseta e a monogamia é uma vibe total, a Geração Z decifrou o código de relacionamentos duradouros? Talvez possamos perguntar a eles novamente daqui a 10 anos e ver se eles mudaram de opinião.

Enviar um comentário

0 Comentários