Últimas

6/recent/ticker-posts

Empresa brasileira Tupguar conquista mercados na Europa

Secagem natural do polvilho ao sol sobre jiraus, como manda a tradição indígena: um dos diferenciais da marca Tupguar, que não faz uso de corantes, aditivos químicos, indutores ou aceleradores. Foto - Divulgação

Mesmo com a pandemia, empresa mineira expande fronteiras e faz sucesso exportando polvilho natural para Inglaterra, França e Bélgica

Polvilho mineiro chegando à Europa. A em presa brasileira Tupguar, conquista três novos mercados estratégicos para a sua produção, Inglaterra, França e Bélgica. Mesmo com os prejuízos causados por geadas e o inverno rigoroso, somados à retração do mercado interno na pandemia, com o fechamento de muitos de seus clientes (bares, padarias, cafeterias e restaurantes), a empresa mineira vive um bom momento. A Tupguar aproveita a alta do dólar e exporta parte da produção para novos mercados europeus.

A empresa já exportava para os EUA e Japão e entra agora também no mercado europeu. “Há um interesse nítido na Europa pela culinária brasileira e especialmente pela mandioca, chamada também de ‘pão da terra’ e apontada pela ONU como o alimento do século XXI, por sua capacidade de substituir farinhas e amido de milho, com a vantagem de ser naturalmente sem glúten ou modificações genéticas, agradando tanto a celíacos, quem tem algum tipo de intolerância alimentar, ao público fitness e também aos que defendem uma alimentação livre de transgênicos. Além disso, no caso da nossa produção, há o diferencial de ser totalmente natural, sem corantes, aditivos químicos, indutores ou aceleradores”, explica João Carvalho, diretor de Novos Negócios da Tupguar. O polvilho tem grande importância na culinária brasileira e também em nossa história e cultura. É usado em ícones como o pão de queijo, o biscoito de polvilho e a chipa (símbolo do Centro-Oeste do país e também chamado de “pão de queijo paraguaio”).

A Tupguar vai exportar a sua linha completa de produtos: polvilho azedo, polvilho doce, polvilho especial para pão de queijo e o Tupmix - polvilho exclusivo e prático que não requer branqueamento em embalagens de 1 kg e sacos de 25 kg. Lançamento da empresa, o Tupmix tem chamado a atenção tanto no mercado externo quanto de chefs de cozinha por sua versatilidade e praticidade, podendo ser usada para preparar receitas de pão de queijo, chipa, crepe ou qualquer outro pão ou biscoito sem glúten e que não requer o processo de escaldo. Um modo mais fácil e prático para ter o legítimo pão de queijo mineiro em casa ou no estabelecimento comercial sem que ele fique borrachudo ou pesado.

“O segredo nada mais é do que o próprio polvilho natural. O polvilho de longa fermentação dá leveza à massa. O polvilho é a base da receita do pão de queijo, assim como uma boa farinha está na base para o melhor dos pães. Garantia de saúde e sabor”, promete João Carvalho.

A mistura-base da Tupguar para o pão de queijo, o legítimo mineiro, tem feito sucesso no mercado europeu. Foto - Divulgação

Em Londres, os produtos Tupguar serão distribuídos pela Merx Food & Goods, braço britânico do grupo Crilex, com sedes em Brasília (DF) e em Natal (RN). Já na França e demais países da Europa, a responsável pela distribuição é a Du Brèsil au Monde, com sede em Marseille. Alguns estabelecimentos da capital francesa já trabalham com os polvilhos da empresa, como o restaurante Nosso, da chef Alessandra Montagne, e, na Bélgica, está na cozinha do chef Marcelo Ballardin, proprietário da Oak, casa estrelada no Guia Michelin.

No Brasil, a Tupguar está presente em diversos pontos de venda por todo o país e já é a queridinha de chefs premiados como Helena Rizzo (Maní, Manioca), Alex Atala (Dom), Bel Coelho (Cuia Café e Restaurante), Rodrigo Oliveira (Mocotó) e Helô Bacellar (Lá da Venda).

O DNA da marca é ser 100% natural, fazer um trabalho artesanal, mas conseguir produção em larga escala. O polvilho é fermentado naturalmente, num processo que chega até a 120 dias (ao contrário dos polvilhos industriais que fermentam em questão de horas). Depois, o polvilho é seco cuidadosamente ao sol em cima de jiraus, como manda a tradição indígena. O resultado é muito mais sabor, aroma e textura.

Os produtos da Tupguar não contêm glúten ou lactose e carregam todas as propriedades da mandioca, eleita o “alimento do século XXI” pela ONU, por ser rica em potássio, fibras, vitamina C, folato, saponinos e resveratrol. Com embalagens de papel reciclado e sustentáveis, com desenhos e cores que remetem aos povos originários, Tupguar agora é também polvilho natural e de exportação.

Enviar um comentário

0 Comentários