Últimas

6/recent/ticker-posts

Projeto musical da Salon Line anuncia sua décima voz

Da esquerda para a direita, Max de Castro, Thalia Abdon e Alexandre Manisck. Foto - Divulgação

Com curadoria de Max de Castro, Me Grava revelou mais um talento, agora no gênero neo soul

Iniciado em março de 2021, Me Grava, projeto da Salon Line que revelou novos talentos da música ao longo do ano passado em parceria com o cantor, compositor, multi-instrumentista, produtor e arranjador brasileiro Max de Castro, acaba de divulgar mais uma voz. “A cada lançamento, a cada mês, nossas expectativas com as novas vozes iam aumentando, me fazendo pensar como iríamos superar o nível de qualidade de cada artista, o talento ímpar de cada um.”, comentou Max.

Thalia Abdon, com seus 24 anos, moradora de Itapecerica da Serra, decidiu que queria cantar bem cedinho, ainda no primário, com influência de seu pai, que na época era mestre de obras e, assim que chegava em casa ligava na rádio para escutar música enquanto preparava o almoço. Ela conta que aos 9 anos de idade rabiscava seus cadernos com músicas que começou a criar, mas foi aos 16 que realmente se dedicou a compor, pedir opinião dos amigos sobre suas composições e assistir videoclipes para aprender, imitando os movimentos, respiração, vibrato e melisma de cantoras como Rihanna que, inclusive, é a artista que mais admira.

O empenho transformou-se em um EP com nove faixas, todo gravado em casa e a música produzida para o projeto Me Grava, intitulada “Cidades Cinzas” faz parte desse seu primeiro trabalho. Escrita em homenagem ao seu pai, que era alcoólatra e faleceu em 2017, Thalia foca nas boas lembranças das vivências musicais com ele. Enquanto viveram juntos, os dois sempre estavam rodeados de música, ela cantarolando Spice Girls, George Michael, Lionel Richie, entre outros, enquanto ele estudava as plantas das próximas obras. “A música sempre trouxe forças e resiliência para mim. Eu falo muito do que vejo à minha volta e muito do que passo na minha vida também”, disse a paulista.

Thalia vem da cena hip-hop e traz no combo o R&B, o soul e o neo soul, em sua vida cotidiana essa cultura se faz presente por muitos motivos, desde suas inspirações de artistas que prosperaram na música aqui no Brasil como Tasha & Tracie, Bivolt, Brioni, Tássia Reis e Negra Li. Até hoje, o momento que classificou como um dos maiores marcos em sua carreira foi sua participação na segunda edição do festival Sons da Rua em 2017 - evento notório para este gênero musical.

Quando ficou entre os finalistas, sendo a única mulher entre cinco concorrentes, teve a oportunidade de cantar no Memorial da América Latina lotado e ainda ser destaque no programa da TV Cultura, “Manos e Minas”. “Cantar em festival é uma experiência muito gostosa e quero poder ter a oportunidade de participar de outros, foi esse o meu pensamento enquanto participava do Sons da Rua.”, conta.

Para ela, todo esse processo está sendo uma vitória e tanto, principalmente por ter vindo de uma família muito humilde. Formada em recursos humanos, começou a se questionar se conseguiria viver do sonho de cantar. Os refrescos com certeza começaram a chegar vendo a retrospectiva dela do ano no Spotify, com suas músicas sendo ouvidas em 36 países e sua participação no Me Grava.

Seu vídeo para o projeto foi gravado e postado no Instagram no começo de 2021, de um jeito despretensioso, cantando a canção “Tapas”, do seu álbum “Entrada Indiscreta”, e foi selecionada em dezembro, para ela, ser descoberta pela Salon Line foi como “fechar o ano com chave de ouro”.

Com sua força, que transparece em sua voz, Thalia se emociona enquanto fala de seu pai e conta com empolgação toda a sua trajetória musical. Agora, a jovem cantora integra o time de vozes neste projeto que, assim como ela, tem uma jornada de garra e perseverança. O clipe pode ser assistido no aqui, no canal da Salon Line e a música pode ser escutada no Spotify.

O Me Grava é brasilidade em si e um encontro de potências na música nos muitos gêneros que foram trabalhados no ano de 2021, para Alexandre Manisck, idealizador do projeto e diretor de criação da Salon Line: “O Me Grava Salon Line não podia fechar o primeiro ano do projeto com uma estrela menos brilhante que a Thalia. A décima cantora do projeto chegou para deixar a gente de boca aberta, pés batendo no chão e olhos vidrados. Uma música forte, envolvente e cheia de ritmo na composição e voz de quem já nasceu estrela. Uma artista que fechou o projeto no mais alto nível e que mostrou que o Brasil tem muito talento, muitos ritmos e mulheres incríveis que merecem seu lugar ao sol.”, concluiu. Clique aqui, e confira a retrospectiva das vozes do ano lançadas pelo projeto.

Enviar um comentário

0 Comentários