Últimas

6/recent/ticker-posts

Mês dos Povos Indígenas conta com debates no museu Casa Guilherme de Almeida e exposição na Casa Mário de Andrade

Professor Itahí Pataxó - Extremo Sul da Bahia - Aldeia de Coroa Vermelha - Povo Pataxó. Obra de Graça Anús (2021)

Agenda visa a ampliar a visibilidade para as diversas questões dos povos originários

O Dia Internacional dos Povos Indígenas é celebrado em 09 de agosto. Para marcar esse período, a Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade, integrantes da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, propõem atividades que colaboram com os debates e ampliam espaços para os povos originários divulgarem suas culturas e contextos. O público poderá aproveitar debates e exposição. Confira abaixo a programação:

Casa Guilherme de Almeida

Foto - André Hoff

Entre os destaques da agenda do Centro de Estudos de Tradução Literária do museu Casa Guilherme de Almeida, estão o curso Tradução etnográfica e a mesa-redonda Transfluências: saberes ancestrais em vozes femininas.

O curso apontará a relação entre a língua e a cultura, as descrições culturais dos povos nas escritas tradutórias, análise da antropologia mobilizada pelos Estudos da Tradução e debates sobre as escritas da relação em termos poéticos.

Nos dias 17, 24 e 31 de agosto, e 14 de setembro, quartas-feiras, das 19h às 21h, as aulas serão com Alice Maria Araújo Ferreira, professora do Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução (LET) da UnB e que desenvolve trabalhos sobre crítica e tradução do exílio, tradução e migração, tradução etnográfica e escritas da relação. As inscrições já estão abertas (clique aqui).

A mesa-redonda Transfluências: saberes ancestrais em vozes femininas,acontece no dia 25 de agosto, quinta-feira, a partir das 19h, com a participação de Eunice Antunes Kerexu Yxapyry, liderança Guarani-Mbya, coordenadora da Comissão Guarani Yvyrupa e uma das fundadoras da ANMIGA (Articulação Nacional de Mulheres Indígenas Guerreiras da Ancestralidade), e Juliana Kerexu, artesã, escritora, poeta e professora de Guarani-Mbya, além de cacique da tekoa Takuaty na Ilha da Cotinga, no litoral do Paraná. Para realizar a inscrição, clique aqui.

A atividade convida mulheres indígenas engajadas na criação cultural de seus povos e possibilita conversas sobre os desafios da interculturalidade, questões de gênero, “tradução” e circulação de valores ancestrais em sociedades capitalistas. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) da UFSC, o ciclo de conversas funciona como um espaço de escuta e destaca a contribuição das intervenções femininas em defesa dos direitos indígenas. A mediação é de Evelyn Schuler Zea, antropóloga e professora dos programas de pós-graduação em Antropologia Social e em Estudos da Tradução da UFSC.

Serviço
Casa Guilherme de Almeida
Endereço - R. Macapá, 187 - Perdizes - São Paulo
Anexo - Rua Cardoso de Almeida, 1943 - Sumaré - São Paulo
Toda a programação é gratuita
Informações 11 3673-1883, 3803-8525, 3672-1391, 3868-4128 e pelo site aqui

Curso - Tradução etnográfica
Com Alice Maria Araújo Ferreira
Período - 17, 24 e 31 de agosto, e 14 de setembro - quartas-feiras
Horário - das 19h às 21h
Inscrições abertas até 16 de agosto no link aqui
Zoom - 350 vagas

Mesa-redonda - Transfluências: saberes ancestrais em vozes femininas
Com Eunice Antunes Kerexu Yxapyry e Juliana Kerexu
Mediação e curadoria - Evelyn Schuler Zea
Data - 25 de agosto - quinta-feira
Horário - a partir das 19h
Inscrições abertas até 24 de agosto no link aqui
Zoom - 350 vagas

Casa Mário de Andrade

Foto - André Hoff

Até o dia 31 de agosto. acontece a exposição Rostos Indígenas: retratos por Graça Arnús no museu Casa Mário de Andrade com entrada gratuita. Grupos maiores, com até 40 pessoas, precisam agendar a visita pelo site da instituição (clique aqui).

Graça Arnús é artista plástica e na exposição apresenta obras inspiradas pelas viagens que fez aos estados da Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco e Tocantins, atenta a diversidade cultural de diferentes etnias indígenas dessas regiões. A riqueza das pinturas corporais das etnias analisadas ao longo dos anos é um dos aspectos que tem a inspirado, algumas em aquarela somada aos traços fortes. A visitação ocorre de terça a domingo, entre as 10h e 18h.

Serviço
Casa Mário de Andrade
Exposição Rostos Indígenas: retratos por Graça Arnús
Período - até 31 de agosto
Horário - terça a domingo, das 10h às 18h
Para agendar a visita para grupos de até 40 visitantes clique aqui
Endereço - Rua Lopes Chaves, 546 - Barra Funda - São Paulo
Programação gratuita
Informações 11 3666-5803, 3826-4085 e pelo site aqui

Enviar um comentário

0 Comentários